terça-feira, 16 de março de 2010

Google Chrome - Navegador

Uma super dica para blogueiros, twitteiros, para quer traduzir páginas sem grandes complicações e muito mais facilidades...
 Leia a Matéria Aqui
Vale a pena!!!

O Vestibular da Universidade de São Paulo cobrou dos candidatos  a interpretação do seguinte trecho de um poema de Camões:
' Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente,
é um contentamento descontente,
dor que desatina sem doer '.


Uma vestibulanda de 19 anos deu a sua interpretação em forma de poesia:


'Ah! Camões,
se vivesses hoje em dia,
tomavas uns antipiréticos,
uns quantos analgésicos
e Prozac para a depressão.
Compravas um computador,
consultavas a Internet e descobririas
que essas dores que sentias,
esses calores que te abrasavam,
essas mudanças de humor repentinas,
esses desatinos sem nexo,
não eram feridas de amor,
mas somente falta de sexo!'



Ganhou nota dez. Foi a primeira vez que, ao longo de mais de 500 anos,  alguém desconfiou que o problema de Camões era falta de mulher...

sexta-feira, 12 de março de 2010

Confusão na Floresta


Um coala estava sentado sobre o galho de uma árvore e fumando um baseado...


Uma lagartixa passava e, olhando para cima, disse:

'E aêêê Coala...tudo belê? O que tá fazendo?'

O coala disse: 'Queimando um . Sobe aê'.

A lagartixa subiu na seringueira e sentou-se ao lado do coala, curtindo alguns baseados.

Após algum tempo, a lagartixa disse:

-Pô cara,minha boca tá seca,vou tomar água no rio....

A lagartixa meio desorientada, se inclinou muito e caiu no rio.. Um jacaré a viu cair e nadou até ela, ajudando-a a subir na margem.

Depois ele perguntou:

-Qual é a sua, lagartixa? O que aconteceu? Quer morrer?

A lagartixa explicou que ela estava curtindo um baseado com o coala numa seringueira, ficou zuadinha e caiu no rio enquanto tomava água. O jacaré, querendo verificar esta estória, entrou na floresta e, encontrou o coala sentado num galho, chapadão.

O jacaré olhou para cima e disse:

-'Ei! Você aí em cima!'



O coala olhou para baixo e disse:





'PUT@-QUE-P@RyU, lagartixa,tu bebeu água pá k@r@io véééia!

recebi essa por e-mail da minha amiga Regiane B....

segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher foi instituído em 1911. A data foi escolhida pela UNESCO-Organização Mundial para a Educação, Ciência e Cultura - para lembrar uma manifestação organizada de centenas de operárias que reivindicavam o direito à licença-maternidade, a redução da jornada de trabalho e salários iguais aos dos homens, em 08 de março de 1857, quando morreram queimadas 129 mulheres em uma fábrica têxtil de Nova Iorque.
No dia 8 de Março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher e símbolo da emancipação feminina. E nessa ocasião, as mulheres, namoradas, mães, avós e amigas são presenteadas com um ramo de flor de mimosa pelos seus amigos, filhos, maridos, namorados e netos. Essa data é a ocasião ideal para as manifestações "femininas", conferências e encontros para trazer à atenção do público os próprios direitos.

Nem todos sabem, mas o dia 8 de Março é uma data escolhida pelos movimentos feministas que retorna à 1929. Em Nova Iorque, durante um incêndio em uma fábrica de tecidos, as operárias morreram sufocadas porque as saídas de emergência estavam bloqueadas pelo lado de fora.

M de Mulher




Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.
Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
Madalenas ou Marias.
Marinas ou Madonas.


Elas são Manhãs e Madrugadas.
Mártires e Massacradas.
Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.


E são Marinheiras e Magníficas.
Mimam Mascotes.
Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
Marcam suas Mudanças.
Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,


Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,
Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,
Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,
Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,
Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.


Merecem Mundos e não Migalhas.
Merecem Medalhas.


São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

SER MULHER

Ser mulher...


É viver mil vezes em apenas uma vida.
É lutar por causas perdidas e

sempre sair vencedora.
É estar antes do ontem e depois do amanhã.
É desconhecer a palavra recompensa
apesar dos seus atos.


Ser mulher...
É caminhar na dúvida cheia de certezas.
É correr atrás das nuvens num dia de sol.
É alcançar o sol num dia de chuva.


Ser mulher...
É chorar de alegria e muitas vezes
sorrir com tristeza.
É acreditar quando ninguém mais acredita.
É cancelar sonhos em prol de terceiros.
É esperar quando ninguém mais espera.


Ser mulher...
É identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa.
É ser enganada, e sempre dar mais uma chance.
É cair no fundo do poço, e emergir sem ajuda.


Ser mulher...
É estar em mil lugares de uma só vez.
É fazer mil papeis ao mesmo tempo.
É ser forte e fingir que é frágil...
Pra ter um carinho.


Ser mulher...
É se perder em palavras e
depois perceber que se encontrou nelas.


É distribuir emoções
que nem sempre são captadas.


Ser mulher...
É comprar, emprestar, alugar,
vender sentimentos, mas jamais dever.


É construir castelos na areia,
ve-los desmoronados pelas águas.
E ainda assim amá-los.
Ser mulher...
É saber dar o perdão...
É tentar recuperar o irrecuperável.
É entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.


Ser mulher...
É estender a mão a quem ainda não pediu.
É doar o que ainda não foi solicitado.


Ser mulher...
É não ter vergonha de chorar por amor.
É saber a hora certa do fim.
É esperar sempre por um recomeço.


Ser mulher...
É ter a arrogância de viver
apesar dos dissabores,
das desilusões, das traições e
das decepções.


Ser mulher...
É ser mãe dos seus filhos...
Dos filhos de outros.
É amá-los igualmente.

Ser mulher...
É ter confiança no amanhã e
aceitação pelo ontem.
É desbravar caminhos difíceis
em instantes inoportunos.
E fincar a bandeira da conquista.


Ser mulher...
É entender as fases da lua

por ter suas próprias fases.




Essa foi a minha maneira de homenagear minhas amigas e todas as mulheres!!!

È fácil ser mulher?! Talvez não. Pois ser mulher significa, ser menina, ser guerreira, ser mãe, ser esposa, ser amante, companheira, amiga, além de tudo isso, ter sua carreira profissional, cuidar da casa e filhos, e ser acima de tudo “profissional” para exercer tudo isso com talento, senão te chamam de incompetente. Mesmo naqueles dias de tpm,cheia de cólicas e quando seus hormônios fervem e seus sentimentos se afloram ainda mais.

 
Ser delicada e forte ao mesmo tempo, e saber ter discernimento para distinguir o momento exato para revelar sua atitudes e suas emoções. É se manter equilibrada parecendo uma verdadeira diva em situações de saia justa (alías o termo sai justa é tão feminino quanto sua capacidade, eu não tinha pensando nisso) ou ter total descontrole e defender aquilo que te é importante e que você acredita, mas tendo cuidado para não ultrapassar sua feminilidade.

É tomar aquele fora e chorar muito, reclamar horrores e de repente dar a volta por cima e ficar mais segura e linda do que nunca!!!


Ter que aturar uma cobrança da sociedade de perfeição. Parecer sempre uma modelo de capa de revista, e  ter que seguir padrões que a mídia te impõe e ter uma boa cabeça  para não se sentir inferior quando você não alcança tais padrões...estar com a raiz do cabelo retocada, com sorriso no rosto e sempre sem nenhum pelo no corpo.

Ser mulher talvez não seja nada fácil, mas é muito bom!!!!


Somos mulheres todos os dias. Mas especialmente hoje temos um dia para comemorar , portanto Parabéns a todas nós


Simplesmente.... Regiane 08/03/2008 15:32hs




Neste Dia Internacional da Mulher, descobri a biografia de Leocádia Prestes, elaborada por sua filha Lygia, que traz a trajetória da corajosa mãe de Luiz Carlos Prestes que, nas palavras de Pablo Neruda, fez “grande, más grande, a nuestra América” e é expressão da determinaçãe combatividade da mulher brasileira. Depois do levante antifascista de novembro de 1935 e da prisão de Prestes em 1936, Leocádia esteve à frente de uma campanha internacional pela defesa da vida e pela libertação de seu filho e de todos os presos políticos no Brasil. Ela “percorreu os principais países europeus, denunciando o terror desencadeado no Brasil, o perigo de morte para os presos políticos e pedindo solidariedade e apoio para a sua luta”, que se inseria no fortalecimento do movimento antifascista internacional. Com a extradição de Olga Benário para a Alemanha, uma nova campanha se colocou para salvar a vida de Olga e de sua filha que estava para nascer. Como assinala Lygia, Leocádia foi três vezes à Alemanha nazista, enfrentar a Gestapo para exigir a libertação de Olga e de sua filha Anita, resgatada em janeiro de 1938. (*)
Leia tudo Aqui



LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

terça-feira, 16 de março de 2010

Google Chrome - Navegador

Uma super dica para blogueiros, twitteiros, para quer traduzir páginas sem grandes complicações e muito mais facilidades...
 Leia a Matéria Aqui
Vale a pena!!!

O Vestibular da Universidade de São Paulo cobrou dos candidatos  a interpretação do seguinte trecho de um poema de Camões:
' Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente,
é um contentamento descontente,
dor que desatina sem doer '.


Uma vestibulanda de 19 anos deu a sua interpretação em forma de poesia:


'Ah! Camões,
se vivesses hoje em dia,
tomavas uns antipiréticos,
uns quantos analgésicos
e Prozac para a depressão.
Compravas um computador,
consultavas a Internet e descobririas
que essas dores que sentias,
esses calores que te abrasavam,
essas mudanças de humor repentinas,
esses desatinos sem nexo,
não eram feridas de amor,
mas somente falta de sexo!'



Ganhou nota dez. Foi a primeira vez que, ao longo de mais de 500 anos,  alguém desconfiou que o problema de Camões era falta de mulher...

sexta-feira, 12 de março de 2010

Confusão na Floresta


Um coala estava sentado sobre o galho de uma árvore e fumando um baseado...


Uma lagartixa passava e, olhando para cima, disse:

'E aêêê Coala...tudo belê? O que tá fazendo?'

O coala disse: 'Queimando um . Sobe aê'.

A lagartixa subiu na seringueira e sentou-se ao lado do coala, curtindo alguns baseados.

Após algum tempo, a lagartixa disse:

-Pô cara,minha boca tá seca,vou tomar água no rio....

A lagartixa meio desorientada, se inclinou muito e caiu no rio.. Um jacaré a viu cair e nadou até ela, ajudando-a a subir na margem.

Depois ele perguntou:

-Qual é a sua, lagartixa? O que aconteceu? Quer morrer?

A lagartixa explicou que ela estava curtindo um baseado com o coala numa seringueira, ficou zuadinha e caiu no rio enquanto tomava água. O jacaré, querendo verificar esta estória, entrou na floresta e, encontrou o coala sentado num galho, chapadão.

O jacaré olhou para cima e disse:

-'Ei! Você aí em cima!'



O coala olhou para baixo e disse:





'PUT@-QUE-P@RyU, lagartixa,tu bebeu água pá k@r@io véééia!

recebi essa por e-mail da minha amiga Regiane B....

segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher foi instituído em 1911. A data foi escolhida pela UNESCO-Organização Mundial para a Educação, Ciência e Cultura - para lembrar uma manifestação organizada de centenas de operárias que reivindicavam o direito à licença-maternidade, a redução da jornada de trabalho e salários iguais aos dos homens, em 08 de março de 1857, quando morreram queimadas 129 mulheres em uma fábrica têxtil de Nova Iorque.
No dia 8 de Março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher e símbolo da emancipação feminina. E nessa ocasião, as mulheres, namoradas, mães, avós e amigas são presenteadas com um ramo de flor de mimosa pelos seus amigos, filhos, maridos, namorados e netos. Essa data é a ocasião ideal para as manifestações "femininas", conferências e encontros para trazer à atenção do público os próprios direitos.

Nem todos sabem, mas o dia 8 de Março é uma data escolhida pelos movimentos feministas que retorna à 1929. Em Nova Iorque, durante um incêndio em uma fábrica de tecidos, as operárias morreram sufocadas porque as saídas de emergência estavam bloqueadas pelo lado de fora.

M de Mulher




Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.
Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
Madalenas ou Marias.
Marinas ou Madonas.


Elas são Manhãs e Madrugadas.
Mártires e Massacradas.
Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.


E são Marinheiras e Magníficas.
Mimam Mascotes.
Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
Marcam suas Mudanças.
Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,


Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,
Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,
Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,
Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,
Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.


Merecem Mundos e não Migalhas.
Merecem Medalhas.


São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

SER MULHER

Ser mulher...


É viver mil vezes em apenas uma vida.
É lutar por causas perdidas e

sempre sair vencedora.
É estar antes do ontem e depois do amanhã.
É desconhecer a palavra recompensa
apesar dos seus atos.


Ser mulher...
É caminhar na dúvida cheia de certezas.
É correr atrás das nuvens num dia de sol.
É alcançar o sol num dia de chuva.


Ser mulher...
É chorar de alegria e muitas vezes
sorrir com tristeza.
É acreditar quando ninguém mais acredita.
É cancelar sonhos em prol de terceiros.
É esperar quando ninguém mais espera.


Ser mulher...
É identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa.
É ser enganada, e sempre dar mais uma chance.
É cair no fundo do poço, e emergir sem ajuda.


Ser mulher...
É estar em mil lugares de uma só vez.
É fazer mil papeis ao mesmo tempo.
É ser forte e fingir que é frágil...
Pra ter um carinho.


Ser mulher...
É se perder em palavras e
depois perceber que se encontrou nelas.


É distribuir emoções
que nem sempre são captadas.


Ser mulher...
É comprar, emprestar, alugar,
vender sentimentos, mas jamais dever.


É construir castelos na areia,
ve-los desmoronados pelas águas.
E ainda assim amá-los.
Ser mulher...
É saber dar o perdão...
É tentar recuperar o irrecuperável.
É entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.


Ser mulher...
É estender a mão a quem ainda não pediu.
É doar o que ainda não foi solicitado.


Ser mulher...
É não ter vergonha de chorar por amor.
É saber a hora certa do fim.
É esperar sempre por um recomeço.


Ser mulher...
É ter a arrogância de viver
apesar dos dissabores,
das desilusões, das traições e
das decepções.


Ser mulher...
É ser mãe dos seus filhos...
Dos filhos de outros.
É amá-los igualmente.

Ser mulher...
É ter confiança no amanhã e
aceitação pelo ontem.
É desbravar caminhos difíceis
em instantes inoportunos.
E fincar a bandeira da conquista.


Ser mulher...
É entender as fases da lua

por ter suas próprias fases.




Essa foi a minha maneira de homenagear minhas amigas e todas as mulheres!!!

È fácil ser mulher?! Talvez não. Pois ser mulher significa, ser menina, ser guerreira, ser mãe, ser esposa, ser amante, companheira, amiga, além de tudo isso, ter sua carreira profissional, cuidar da casa e filhos, e ser acima de tudo “profissional” para exercer tudo isso com talento, senão te chamam de incompetente. Mesmo naqueles dias de tpm,cheia de cólicas e quando seus hormônios fervem e seus sentimentos se afloram ainda mais.

 
Ser delicada e forte ao mesmo tempo, e saber ter discernimento para distinguir o momento exato para revelar sua atitudes e suas emoções. É se manter equilibrada parecendo uma verdadeira diva em situações de saia justa (alías o termo sai justa é tão feminino quanto sua capacidade, eu não tinha pensando nisso) ou ter total descontrole e defender aquilo que te é importante e que você acredita, mas tendo cuidado para não ultrapassar sua feminilidade.

É tomar aquele fora e chorar muito, reclamar horrores e de repente dar a volta por cima e ficar mais segura e linda do que nunca!!!


Ter que aturar uma cobrança da sociedade de perfeição. Parecer sempre uma modelo de capa de revista, e  ter que seguir padrões que a mídia te impõe e ter uma boa cabeça  para não se sentir inferior quando você não alcança tais padrões...estar com a raiz do cabelo retocada, com sorriso no rosto e sempre sem nenhum pelo no corpo.

Ser mulher talvez não seja nada fácil, mas é muito bom!!!!


Somos mulheres todos os dias. Mas especialmente hoje temos um dia para comemorar , portanto Parabéns a todas nós


Simplesmente.... Regiane 08/03/2008 15:32hs




Neste Dia Internacional da Mulher, descobri a biografia de Leocádia Prestes, elaborada por sua filha Lygia, que traz a trajetória da corajosa mãe de Luiz Carlos Prestes que, nas palavras de Pablo Neruda, fez “grande, más grande, a nuestra América” e é expressão da determinaçãe combatividade da mulher brasileira. Depois do levante antifascista de novembro de 1935 e da prisão de Prestes em 1936, Leocádia esteve à frente de uma campanha internacional pela defesa da vida e pela libertação de seu filho e de todos os presos políticos no Brasil. Ela “percorreu os principais países europeus, denunciando o terror desencadeado no Brasil, o perigo de morte para os presos políticos e pedindo solidariedade e apoio para a sua luta”, que se inseria no fortalecimento do movimento antifascista internacional. Com a extradição de Olga Benário para a Alemanha, uma nova campanha se colocou para salvar a vida de Olga e de sua filha que estava para nascer. Como assinala Lygia, Leocádia foi três vezes à Alemanha nazista, enfrentar a Gestapo para exigir a libertação de Olga e de sua filha Anita, resgatada em janeiro de 1938. (*)
Leia tudo Aqui



segunda-feira, 1 de março de 2010