segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Um Leve Despertar

São Paulo, 02 agosto de 2010 16:26hs 




Leve Despertar

Ainda preciso despertar totalmente...
Quanto tempo estive ausente?
Acho que me perdi entre os minutos e horas,
que se tornaram pesadamente quase os 365 dias do ano.
Isso ainda me assusta de certa forma, como pude dormir por tanto tempo?
De que mesmo eu me escondia? O que realmente me assustava?
Até a razão se perdeu.
Ainda restaram reflexos instantâneos de partes de um pesadelo que me fizeram desistir.
Hoje diante de um leve despertar, porém ainda na penumbra de uma quase vida,
vou me redescobrindo; parece até que vou me amar mais!
Não seria isso uma doce ilusão?!
Porque tenho me questionado sobre tantas coisas?!
Buscando muitas respostas
e recolocando pedaços de sonhos esquecidos.
Quem pode viver sem sonhos?
Hoje quando me deito, faço planos e me delicio com eles
Me fazem suspirar e ter esperança, adormeço!
Mas por muitas manhãs, quando abro os olhos,
ainda tenho de volta aquela sensação amarga e pesada...
e um medo, um medo sem sentido que me faz desistir de tudo
Até quando? Sinceramente não sei...
Sei que nesse leve despertar existe esperença e uma força
que vem surgindo aos poucos,
e que me dá a impressão de que está chegando
um novo momento, aquele de libertação.
Libertação sim, de um passado não muito distante
que desencadeou emoções contraditórias
do que sou, de quem sou
ou de quem fui....
e certamente de quem não quero ser hoje.

escrito por Regiane Ratcu

Direitos Autorais Reservados 
COPYRIGHT © RE-BORBOLETANDO.- Regiane Ratcu
PROIBIDA COPIA PARCIAL OU TOTAL SEM AUTORIZAÇÕA POR ESCRITO

Um comentário:

SheilaCristiane disse...

Que lindooooooooooooooooo!

Bjssss

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Um Leve Despertar

São Paulo, 02 agosto de 2010 16:26hs 




Leve Despertar

Ainda preciso despertar totalmente...
Quanto tempo estive ausente?
Acho que me perdi entre os minutos e horas,
que se tornaram pesadamente quase os 365 dias do ano.
Isso ainda me assusta de certa forma, como pude dormir por tanto tempo?
De que mesmo eu me escondia? O que realmente me assustava?
Até a razão se perdeu.
Ainda restaram reflexos instantâneos de partes de um pesadelo que me fizeram desistir.
Hoje diante de um leve despertar, porém ainda na penumbra de uma quase vida,
vou me redescobrindo; parece até que vou me amar mais!
Não seria isso uma doce ilusão?!
Porque tenho me questionado sobre tantas coisas?!
Buscando muitas respostas
e recolocando pedaços de sonhos esquecidos.
Quem pode viver sem sonhos?
Hoje quando me deito, faço planos e me delicio com eles
Me fazem suspirar e ter esperança, adormeço!
Mas por muitas manhãs, quando abro os olhos,
ainda tenho de volta aquela sensação amarga e pesada...
e um medo, um medo sem sentido que me faz desistir de tudo
Até quando? Sinceramente não sei...
Sei que nesse leve despertar existe esperença e uma força
que vem surgindo aos poucos,
e que me dá a impressão de que está chegando
um novo momento, aquele de libertação.
Libertação sim, de um passado não muito distante
que desencadeou emoções contraditórias
do que sou, de quem sou
ou de quem fui....
e certamente de quem não quero ser hoje.

escrito por Regiane Ratcu

Direitos Autorais Reservados 
COPYRIGHT © RE-BORBOLETANDO.- Regiane Ratcu
PROIBIDA COPIA PARCIAL OU TOTAL SEM AUTORIZAÇÕA POR ESCRITO

Um comentário:

SheilaCristiane disse...

Que lindooooooooooooooooo!

Bjssss